Home Quem Somos? História da Música Fale Conosco

 

PIRACI

 

Miguel Lopes Rodrigues (Piraci) nasceu em Piracicaba, no interior do estado de São Paulo, em 1917, e faleceu em Caieiras/SP em 1974.
Filho de Francisco Lopes Rodrigues e de Encarnación Puga Rodrigues, o compositor Miguel Lopes Rodrigues, caboclo dos Marins, bairro da cidade paulista de Piracicaba, iniciou sua carreira artística em 1937, quando formou com o irmão Santiago Lopes sua primeira dupla sertaneja, os Irmãos Piracicabanos. Durante os quatro anos em que Miguel e Santiago trabalharam juntos a dupla se apresentou em inúmeros shows, que incluíam 'causos', humorismo e alguma música caipira. Por sugestão de Oduvaldo Viana, Miguel associou-se então a Palmeira, fazendo Palmeira e Piraci surgir em 1941, na Rádio Difusora de São Paulo, a dupla caipira mais importante da década seguinte: Palmeira e Piracicabano, que em 2002 completou 60 anos de criação. Com o imediato sucesso que obteve em todo o interior e na capital do estado de São Paulo, por influência de Serrinha (Antenor Serra) e do Capitão Furtado, a nova dupla partiu para o Rio de Janeiro para gravar seu primeiro disco. Seu primeiro LP - composto por dez faixas musicais, entre as quais "Mulheres Célebres" (Capitão Furtado e Ítalo Izzo) e "Carro de Boi" (Capitão Furtado e Orlando Puzone) gravado na RCA Víctor - alcançou grande repercussão em todo o Brasil. No lastro de seu amplo sucesso nacional, Palmeira e Piracicabano foram então contratados pelas casas de espetáculo de maior prestígio daquele momento, a Rádio Nacional e o Cassino da Urca, no Rio de Janeiro, que viviam seu período áureo. Foi por aquela época que Miguel Lopes Rodrigues, aceitando sugestão do padrinho e amigo Zé da Zilda, abreviou seu pseudônimo para Piraci e a dupla passou a gravar com o nome artístico de Palmeira e Piraci.
Em 1944, retornando a São Paulo como contratada da Rádio Difusora, a dupla Palmeira e Piraci participou dos programas sertanejos "Longe da Cidade" e "Arraial da Curva Torta", este último conduzido com grande eficiência pelo Capitão Furtado, e passou a gravar pela Continental canções como "O Mundo Daqui a Cem Anos", "Louvação a São Gonçalo", "Sina de Beija-Flor" (Palmeira, Piraci e Capitão Furtado), "Promessa de Caboclo" (Anacleto Rosas Junior), "Paraguaia" e "Pepita de Ouro" (Capitão Furtado e Palmeira), entre outras lançadas com o selo da nova gravadora, foram muito bem recebidas pelo público. Em seguida, a convite da Força Expedicionária Brasileira, a dupla voltou ao Rio de Janeiro para cantar na Vila Militar, onde Piraci musicou "A Carta do Expedicionário" e Palmeira criou a melodia de "A Resposta para o Expedicionário", ambas com versos do Capitão Furtado.
Desfazendo-se a dupla Palmeira e Piraci em 1945, os antigos companheiros saíram à procura de parceiros para formar novas duplas. Palmeira juntou-se então ao cantor Luizinho e Piraci reuniu-se a Jorginho. Piraci e Jorginho logo ficaram conhecidos como Os Garimpeiros da Música Sertaneja.
Em 1950 Piraci casou-se com Natalina Gornik, falecida em 1992, e em 1951 viu nascer sua única filha, Veranice Gornik Rodrigues, a quem presenteou com a valsa "Veranice", gravada por Carlinhos Mafazzoli. Uma outra dupla caipira, Piraci e Guarani, surgiu então naquele período.
Segundo Teddy Vieira de Azevedo eles eram "os melhores intérpretes do cururu, os bambas do cururu e atingiram os píncaros da glória ao lançar em disco da Continental dois grandes sucessos: o cururu "Vencendo Sempre" e a moda campeira "Casando Fugido", que enriqueceram nosso querido Brasil."
A dupla se desfez em 1952, dando lugar a outra parceria: Piraci e Cuiabá, que se manteve unida até 1957. Em dez anos de carreira Piraci havia participado de três duplas de grande sucesso junto ao público, embora tivessem sido parcerias de curta duração. A partir daquele momento Piraci passou a dedicar-se mais ao humorismo, viajando acompanhado do então desconhecido sanfoneiro Mário Zan. Assumiu também muitas outras atividades, além daquela de que mais gostava: excursionar pelo Brasil afora divulgando a música caipira e o folclore brasileiro em shows pelo interior. Nas animadas rodas de cururu de que participava estava sempre ao lado do estudioso do folclore João Chiarini.
Convidado a dirigir o setor sertanejo da Chantecler, Piraci foi o responsável direto pelo lançamento de discos de cururueiros como Parafuso, Pedro Chiquito, Nhô Serra, Moreno e tantos outros, que hoje são nomes importantes na história de nosso folclore. Também foi Piraci quem lançou duplas como Duo Glacial e Duo Brasil Moreno, além de uma das melhores e até hoje mais bem-sucedidas e duradouras duplas sertanejas do Brasil: Tonico e Tinoco. Em 1958, na Editora Gráfica Souza Ltda, cuidou, junto com Serrinha, da apresentação gráfica da coleção de discos que compunha a série Brasil Rítmos.
Piraci continuou viajando com sua trupe, levando seu bom humor e sua experiência de artista consagrado a todos os cantos do Brasil. Em 1967 gravou pela Chantecler o LP "Pândegas, Anedotas e Trocadilhos de Piraci", o Rei do Trocadilho, onde reuniu muitos causos, trocadilhos e cantigas, entre as quais se destacam: "Conselhos Para as Moças" (Lourival dos Santos e Moacir Santos), "Trocando de Profissão" (Piraci e Jorge Paulo) e "Moda dos Ofícios" (Piraci e Capitão Furtado). Augusto Toscano, então Presidente da União dos Artistas Sertanejos Paulistas, afirmava na contracapa do disco que "falar de alguém que o Brasil inteiro conhece, aplaude e admira ao longo de uma vitoriosa carreira artística, é missão das mais árduas. Traçar o perfil de Miguel Lopes Rodrigues, uma criatura das mais sérias, responsável pela evolução e pelo prestígio da música sertaneja, é tarefa dificil. Piraci, o Rei dos Trocadilhos. Piraci, o cantor. Piraci, o compositor. Piraci, o humorista. Piraci formou duplas que ainda hoje são lembradas. Suas músicas, ultrapassando a casa das trezentas, continuam sendo cantadas, graças à beleza de suas melodias e à singeleza poética de seus versos. Homem que sempre esteve na trincheira defensiva da música sertaneja e jamais fugiu do campo de luta, onde quer que ela se apresentasse."
Alguns anos mais tarde, em 1970, em noite de moda de viola e saudades do interior em seu apartamento na Avenida São João, em São Paulo, ao lado da família e de amigos violeiros, Piraci compôs, com Lourival dos Santos, seu parceiro original, aquela que ficou conhecida como um dos maiores sucessos de sua carreira: a canção "Rio de Lágrimas" ou "Rio de Piracicaba", uma emocionada homenagem do compositor à sua cidade natal. Imediatamente gravada por Tião Carreiro e Pardinho, a composição obteve ampla aceitação por parte do público, sendo hoje uma das músicas brasileiras que atingiu os mais altos índices de regravação por outros cantores. Entre os mais de 150 intérpretes de "Rio de Lágrimas" encontram-se vozes como as de Tonico e Tinoco, Sérgio Reis, Nardeli, Renato Teixeira, Almir Sater, Nenete e Dorinho e muitos outros.
Piraci foi também sócio fundador da SOCIMPRO e sócio da União Brasileira de Compositores, a UBC, onde prestou grande serviço à profissionalização dos músicos nacionais. Impulsionado por seu interesse em torno do cururu, do cateretê, da moda campeira, da catira e de outras manifestações folclóricas brasileiras, Piraci fundou ainda, junto com Alceu Mainardi, a Revista Brasileira do Folclore, publicação que muito estimulou o reconhecimento desse importante segmento da cultura do país.
Piraci, uma legenda, escrito para a Revista Sertaneja, assim descreve o compositor: "Piraci figura entre os pioneiros da difusão da música sertaneja na capital. Quando estreou ao lado de Palmeira na Rádio São Paulo, em 1939 (a data correta é 1941), cantar música caipira era uma verdadeira temeridade. Poucas duplas haviam conseguido agradar até então e, via de regra, era necessária a inclusão de boa dose de humorismo nas apresentações e na própria letra das modas para evitar as vaias. Ao lado de Palmeira, Piraci formou uma das primeiras duplas que se arriscaram a contrariar essa norma."
Pouco tempo depois Piraci foi convidado a dirigir o selo da gravadora RCA Candem especializado em música sertaneja e ali continuou apoiando artistas emergentes que mais tarde viriam a se tornar expoentes do mundo musical. Ao longo de sua carreira Piraci participou de todos os mais importantes programas de rádio do Brasil, entre eles "Terra Brasileira" e "Aqui Está a Record", na Record; "Arraial da Curva Torta", apresentado pelo Capitão Furtado, na Cultura; "Carlos Ailton", na Paulista e "Disque Sertão", na Nacional, na Bandeirante e na Difusora de São Paulo. Foi convidado a cantar na inauguração de rádios da Bahia e do Rio de Janeiro e, além disso, comandou seu próprio programa de rádio, na Rádio e TV Record. Pertenceu à Associação dos Radialistas do Estado de São Paulo, à União dos Artistas Sertanejos Paulistas, ao Sindicato dos Músicos Profissionais do Estado de São Paulo, ao Sindicato dos Compositores Musicais do Rio de Janeiro e a muitas outras entidades coletivas. Recebeu também numerosos prêmios, homenagens, menções honrosas e troféus no decorrer de sua intensa e proficua vida profissional. No ano seguinte à sua morte, Piraci foi homenageado publicamente em sua terra natal, Piracicaba, onde seu nome de batismo, Miguel Lopes Rodrigues, foi perpetuado em uma das ruas da cidade. Seu nome consta da Enciclopédia Brasileira de Música, edição atualizada pela Folha de São Paulo, e do livro de autoria de Rosa Nepomuceno, Música Caipira: Da Roça ao Rodeio, ambos editados em 1999.
Atualmente, são realizados trabalhos de pesquisa em torno da obra pioneira de Piraci, com o propósito de resgatar sua memória e de garantir-lhe o merecido destaque na história da música nacional. É importante ressaltar que a obra artística de Piraci - mais de 500 títulos gravados e editados - continua, mesmo depois de sua morte em 1974, sendo alvo de regravações na voz de vários intérpretes da música brasileira, caracterizando não apenas a verdadeira qualidade de seu trabalho artístico mas também a universalidade e a atemporalidade de suas canções.
Para finalizar é preciso ainda registrar a insensibilidade que marcou um recente evento político ocorrido em Piracicaba, durante a homenagem prestada pela Câmara Municipal aos compositores da música-símbolo da cidade, Rio de Lágrimas: a exclusão do nome de Piraci das comemorações. Nada poderia ser mais injusto, pois além de ser o único piracicabano entre os parceiros, o compositor, através de seu pseudônimo, levou o nome de Piracicaba a todos os recantos do país, tendo dedicado à cidade mais de vinte outras composições, como "Saudades de Piracicaba" (Piraci), "Vencendo Sempre" (Piraci e Guarani) e "Luar de Piracicaba" (Piraci e Aldino de Oliveira).

 

Texto extraído do site www.piraci.art.br

 

MÚSICAS DE AUTORIA DE PIRACI

 

- Abra a Janela - Capitão Balduino e Piraci
- A Carta do Expedicionário - Capitão Furtado e Piraci
- Adeus do Mineiro - Teddy Vieira e Piraci
- Adeus Morena - Palmeira e Piraci
- Adeus Morena Adeus - Piraci e Luiz Alex
- Adeus Moreninha - Piraci e Craveiro
- Afirma o Pé - Piraci e Lindinho
- Ai Meu Bem - Piraci e Geraldo Costa
- A Índia e o Caçador - Capitão Furtado e M. L. Rodrigues "Piraci"
- Alguém é Culpado - Piraci e M. Gueri
- Amanhã Tem Mais - Portinho e Piraci
- Amarga Desilusão - Piraci
- Amor Cubano - Piraci e Zé Maringá
- Anedotas de Criança - Piraci e Alberto Calçada
- A Noiva do Retirante - Piraci e Capitão Furtado
- A Política e o Ovo - Piraci
- Aproveita Meu Bem - Piraci e Palmeira
- Araraquara - Piraci, Osvaldo Benjamim e Palmeira
- As Três Verdades - Piraci e Lourival dos Santos
- A Vida é um Sinal - Piraci e Lourival dos Santos
- A Volta da Yayá - Piraci e A. Pires
- Bairros de São Paulo em Trocadilhos - Piraci
- Bandeira Branca - Lourival dos Santos e Piraci
- Bem Quentinha - Piraci e Ângelo Reale
- Boiadeiro de Fama - Piraci e Lourival dos Santos
- Boiadeiro Triste - Piraci e Palmeira
- Briga de Dois Fotógrafos - Piraci
- Caboclinho Apaixonado - Palmeira, Piraci e Serrinha
- Cadê o Pai? - Piraci e Capitão Furtado
- Caipira na Cidade - Piraci e Ado Benatti
- Campo Largo da Piedade - Piraci e Nhô Belarmino
- Candidato do Povo - Piraci e Ado Benatti
- Carinhosa - Piraci e Nenete
- Carmem Miranda - Piraci e Capitão Furtado
- Carreiras de Cururu - Piraci, Biguá e Teddy Vieira
- Casamento na Roça - Piraci
- Casando Fugido - Piraci e Antônio Pires de Toledo
- Chiquinha do Cafundó - Piraci e Palmeira
- Choro Mesmo - Lourival dos Santos e Piraci
- Choro Sem Lágrimas - Piraci e R. Faccioli
- Colhendo Saudades - Piraci e Lourival dos Santos
- Começo de Festa - Pedro Sanfoneiro e Piraci
- Conselho - Piraci e Ado Benatti
- Conselho de Amigo - Nonô Basílio e Piraci
- Conselho em Trocadilhos - Piraci
- Conselho Para as Moças - Piraci e Lourival dos Santos
- Convite - Piraci e Pedro Chiquito
- Coração que Ama - Piraci e Wilfrido Alves de Lima
- Craque de Futebol - Piraci e Lourival dos Santos
- Criação de Raça - Piraci e Ado Benatti
- Dança da Vovó - Piraci e Castelinho
- Decreto do Governo - Piraci
- Deixa a Morena Chorar - Piraci
- Deixe a Cabocla Chorá - Piraci
- Dentro da Noite - Piraci e Zé Maringá
- Desesperada - Piraci e Jorge Paulo
- Despedida - Jeca Mineiro e Piraci
- Discurso do Piraci - Piraci
- Distribuindo Notas - Piraci
- Dois Paulistas Combinados - Piraci e Lourival dos Santos
- Duas Anas Marias - Lourival dos Santos e Piraci
- Ela e a Viola - Alves de Lima e Piraci
- Encontro do Divino - Piraci e Ado Benatti
- Esta Polca é Minha - Piraci
- Eterno Condenado - Piraci, Juquinha e Ramon Cariz
- Eu Não Mereço - Piraci e Sertãozinho
- Facão de Penacho - Piraci e Lourival dos Santos
- Falando das Duplas - Piraci
- Falou e Disse - Lourival dos Santos, Tião Carreiro e Piraci
- Família dos Papudos - Piraci e Ado Benatti
- Festa de Palhaços - Teddy Vieira e Piraci
- Fez a Cabocla Chorar - Geraldo Queiroz e Piraci
- Filho Sem Coração - Piraci e Antônio Pires de Toledo
- Fim de Romance - Piraci e Carijó
- Fique Quietinho Meu Coração - Piraci e Capitão Furtado
- Flor Mineira - Piraci e Lenço Verde
- Folclore Brasileiro - Piraci e Torrinha
- Garimpo - Piraci, Tonico e Galicio Nascimento
- Girassol - Piraci e Lindinho
- Goiano Valente - Piraci e Nenete
- Gostei de Ti - Piraci e Sertãozinho
- Gostinho de Saudade - João Pacífico e Piraci
- História da Enxada - Piraci
- História de uma Língua - Piraci
- Homenagem - Piraci e Ado Benatti
- Índio Mescaleiro - Julião e Piraci
- Índio Paulistano - Teddy Vieira, Lourival dos Santos e Piraci
- Lembrança de Alguém - Piraci
- Lembrando Aquele Amor - Piraci e Aldino de Oliveira
- Lembrando de Meu Bem - Piraci e Zico
- Lencinho de Inhandoti - Piraci e Nhô Fio
- Louco de Amor - Piraci e Zé do Rancho
- Louvação a São Gonçalo - Capitão Furtado, Palmeira e Piraci
- Luar de Piracicaba - Piraci e Nhô Juquinha
- Lutando Para Gravar - Piraci
- Mágoas de um Boiadeiro - Piraci e Ado Benatti
- Mais uma Vez - Piraci e Clóvis Pontes
- Mal de Amor - Piraci e Baltazar
- Maricá - Piraci e Palmeira
- Meu Barraco - Piraci e Moacir dos Santos
- Meu Passado - Piraci e Lourival dos Santos
- Meu Perdão - Lour e Piraci
- Meu Sentimento - Piraci e Nardelli
- Mineiro de Gosto - Lourival dos Santos, Piraci e Tinoco
- Minha Caboclinha - Mário Zan e Piraci
- Moça Linda - Lourival dos Santos e Piraci
- Moda das Duplas - Piraci
- Moda dos Inventores - Piraci e Capitão Furtado
- Moda dos Ofícios - Piraci e Capitão Furtado
- Moda dos Palhaços - Piraci e Teddy Vieira
- Morena Linda - Motinha e Piraci
- Mulher Bonita - Piraci e Lourival dos Santos
- Mulher de Alto Preço - Lourival dos Santos e Piraci
- Na Casa do Genaro - Piraci e Osvaldo Aude
- Na Casa do Mané Pedro - Tonico e Piraci
- Não Bebas Por Mim - Nizio e Piraci
- Não Case - Piraci, Palmeira e Nhô Fio
- Não Fico Mais na Cidade - Jaime Martins e Piraci
- Não me Mande Embora - Piraci e Paiozinho
- Não Se Esqueças de Mim - Piraci e Lourival dos Santos
- Não Se Mate Por Amor - Piraci e Lourival dos Santos
- Nóis na Oropa - Palmeira e Piraci
- Noite - Piraci e Antônio Camargo
- Nossa Senhora da Guia - Piraci e Alves Lima
- Nossa Verdade - Piraci, Marrequinho e Marreco
- O Amor e a Rosa - Piraci e João Vidal
- O Burro Canário - Piraci e Palmeira
- O Crime do Gavião - Piraci
- O Crime Não Compensa - Piraci e Antônio Pires de Toledo
- O Mundo Daqui a Cem Anos - Capitão Furtado, Palmeira e Piraci
- Olai Morena - Tonico, Tinoco e Piraci
- O Pateta Paga o Pato - Piraci e Capitão Furtado
- O Rico e o Pobre - Piraci e Anacleto Rosas Jr
- Pagode Versos Yeye - Piraci e Lourival dos Santos
- Palhaçada - Teddy Vieira e Piraci
- Palmeiras e Corinthians - Piraci e Elpidio dos Santos
- Pão na Fumaça - Piraci e Lourival dos Santos
- Paz na Terra - Piraci e Lourival dos Santos
- Pecado de Amor - Nizio e Piraci
- Pequenino - Piraci e Nhô Fio
- Pé Quente - Piraci e Lourival dos Santos
- Pinhão Cozido - Piraci
- Pintura das Mulheres - Piraci e Diogo Mulero
- Pirracenta - Piraci e Lourival dos Santos
- Porque Chorei - Piraci e Juvenal dos Santos
- Porto da Solidão - Lourival dos Santos e Piraci
- Puladinho - Mário Zan e Piraci
- Quadrilha Moderna - Luiz Wanderley e Piraci
- Quando Amanhece - Piraci
- Que Leve a Breca - Piraci
- Que Lucro Dá - Piraci e Mário Zan
- Quem Tem Ofício - Piraci e Capitão Furtado
- Quem Vive Ama - Piraci e Juvenal Fernandes
- Quero Voltar - Piraci e Lourival dos Santos
- Quilombo em Festa - Nardelli e Piraci
- Rapazes Direitos - Piraci e Bolinho
- Rio de Lágrimas (Rio de Piracicaba) - Tião Carreiro, Piraci e Lourival dos Santos
- Romance de um Burrico - Piraci e Albano Reis
- Rosa Linda - Nhô Pai e Piraci
- Rumbita do Canindé - Piraci e Palmeira
- Salada Internacional - Capitão Furtado, Palmeira e Piraci
- Samba Caipira - Piraci e Diogo Mulero "Palmeira"
- Santa Cruz da Estrada - Piraci, Zé Fortuna e Lianco
- São Gonçalo - Piraci e Palmeira
- Sapato Sem Sola - Piraci
- Saudade Sem Fim - Dorinho e Piraci
- Se Ela Voltasse - Piraci, Teddy Vieira e Sulino
- Seleção de Piadas - Piraci e Nestor
- Sempre Te Amando - Piraci e José Mineiro
- Serra Branca - Piraci e Zenilto
- Sina do Beija-flor - Capitão Furtado, Palmeira e Piraci
- Só Quero Você - Piraci e Dudu Basílio
- Soberana - Carlinhos Mafasoli e Piraci
- Sorrindo Por Me Ver Chorar - Piraci
- Tempo Antigo - Piraci e Teddy Vieira
- Teu Desprezo - Nizio e Piraci
- Tirana - Teddy Vieira, Piraci e Sulino
- Tire a Viola do Saco - Piraci e Palmeira
- Traidor - Piraci e Jeca Mineiro
- Triste Despedida - Nhô Pai e Piraci
- Triste Lembrança - Piraci e Ado Benatti
- Triste Serenata - Piraci e Teddy Vieira
- Trocadilho das Cobras - Piraci e Lourival dos Santos
- Trocadilho dos Carros - Piraci e Stelio
- Trocadilho Sobre o Casamento - Piraci
- Trocando de Profissão - Piraci e Jorge Paulo
- Tu Voltarás - Piraci e Cid Gaúcho
- Uma História Divertida - Piraci
- Vagas Esperanças - Piraci e Capitão Furtado
- Valsa da Meia-noite - Tradicional - Adaptação: Julião e Piraci
- Vem Cá - Piraci e Maninho
- Vencendo Sempre - Lourival dos Santos e Piraci
- Venenoso - Piraci e Clóvis Pontes
- Veranice - Piraci
- Véu de Noiva - Piraci
- Viajando Pelo Mundo - Piraci e Capitão Furtado
- Vida Triste - Lourival dos Santos e Piraci
- Viola Cabocla - Piraci e Tonico
- Vitorioso - Messias Garcia e Piraci
- Você Já Viu o Cruzeiro - Capitão Furtado, Palmeira e Piraci
- Você Sabe Onde Moro - Piraci e Geraldo Costa
- Volúvel - Francisco Lacerda e Piraci
- Volte Comigo Morena - Piraci e Palmeira

 

DISCOGRAFIA

 

78 ROTAÇÕES

 

PALMEIRA E PIRACI

08/1942 - VÍCTOR - Nº 34956
A - O Burro Canário (Palmeira)
B - Mulheres Célebres (Capitão Furtado e Bandeirante)

 

09/1942 - VÍCTOR - Nº 34970
A - Carro de Boi (Capitão Furtado e Orlando Puzone)
B - Caboclinho Apaixonado (Serrinha, Palmeira e Piraci)

 

10/1942 - VÍCTOR - Nº 80.0011
A - Franguinho Carijó (Raul Tôrres e Nhô Pai)
B - Segunda Moda dos Meses (Capitão Furtado)

 

11/1942 - VÍCTOR - Nº 80.0025
A - Adeus Morena (Palmeira e Piraci)
B - O Nariz da Mulher (Capitão Furtado e Palmeira)

 

12/1942 - VÍCTOR - Nº 80.0035
A - Sereno do Varjão (Serrinha e João Merci)
B - Nóis na Oropa (Palmeira e Piraci)

 

06/1944 - CONTINENTAL - Nº 15.143
A - O Mundo Daqui a Cem Anos (Capitão Furtado, Palmeira e Piraci)
B - Louvação a São Gonçalo (Capitão Furtado, Palmeira e Piraci)

 

06/1944 - CONTINENTAL - Nº 15.162
A - Não Fico Mais na Cidade (Jaime Martins e Piraci)
B - Sina do Beija-Flor (Capitão Furtado, Palmeira e Piraci)

 

08/1944 - CONTINENTAL - Nº 15.191
A - Paraguaya Pepita de Oro (Capitão Furtado e Palmeira)
B - Promessa de Caboclo (Anacleto Rosas Jr)

 

03/1945 - CONTINENTAL - Nº 15.286
A - Volta Comigo, Morena (Palmeira)
B - Araraquara (Osvaldo Benjamim)

 

04/1945 - CONTINENTAL - Nº 15.322
A - A Carta do Expedicionário (Capitão Furtado e Piraci)
B - Carta Para o Expedicionário (Capitão Furtado e Palmeira)

 

07/1945 - CONTINENTAL - Nº 15.385
A - Em Vez de me Agradecer (Capitão Furtado, Jaime Martins e Aimoré) com Tonico e Tinoco
B - Salada Internacional (Capitão Furtado, Palmeira e Piraci) com Palmeira e Piraci

 

PIRACI E JORGINHO

09/1948 - CONTINENTAL - Nº 15.942
A - Mineiro de Gosto - (Piraci, Tinoco e Lourival dos Santos)
B - Casamento na Roça - (Piraci)

 

PIRACI E GUARANI

12/1952 - CONTINENTAL - Nº 16.626
A - Casando Fugido - (Antonio Pires de Toledo e Piraci)
B - Vencendo Sempre - (Piraci e Lourival dos Santos)

 

09/1959 - SERTANEJO - PTJ-10026
A - Homenagem - (Piraci e Ado Benatti)
B - Sempre te Amando - (Piraci e José Mineiro)

 

PIRACI E CUIABÁ

1956 - COPACABANA - Nº 5.670
A - Deixa a Cabocla Chorá - (Piraci)
B - Choro Mesmo - (Piraci e Lourival dos Santos)

 

PIRACI

01/0961 - RCA CAMDEN - CAM-1028
A - Trocadilho dos Carros - (Piraci e Stelio)
B - Bairros de São Paulo em Trocadilhos - (Piraci)

 

LPs e CDs

 

PIRACI - EU SOU O PIRACI - O REI DOS TROCADILHOS - SABIÁ - SCLP-10508
01) Discurso do Pirací - Piraci
02) Bairros de São Paulo - Piraci
03) A Política e o Ovo - Piraci
04) Casamento na Roça - Piraci
05) Briga de Dois Fotógrafos - Piraci
06) Lutando Para Gravar - Piraci
07) Trocadilhos dos Carros - Piraci
08) História da Enxada - Piraci
09) O Crime do Gavião - Piracii
10) História de uma Língua - Piraci
11) Decreto do Governo - Piraci

 

PIRACI - TROCADILHOS, PÂNDEGAS E ANEDOTAS - 1967 - CHANTECLER - CH-3144
01) O Rico e o Pobre - Piraci e Anacleto Rosas Jr
02) Conselho Pras Moças - Lourival dos Santos e Moacyr dos Santos
03) Seleção de Piadas - Piraci e Nestor
04) Uma Estória Divertida - Piraci
05) O Mundo Daqui a Cem Anos - Capitão Furtado, Palmeira e Piraci
06) Piadas do Fanhoso - Piraci
07) Trocadilhos das Cobras - Piraci e Lourival dos Santos
08) Trocando de Profissão - Piraci e Jorge Paulo
09) Conselhos em Trocadilho - Piraci
10) Anedotas de Crianças - Piraci e Alberto Calçada
11) Trocadilhos Sobre o Casamento - Piraci
12) Moda dos Ofícios - Piraci e Capitão Furtado

 

PIRACI - PÂNDEGAS, ANEDOTAS E TROCADILHOS - PHONODISC
01) O Rico e o Pobre - Piraci e Anacleto Rosas Jr
02) Conselho Pras Moças - Lourival dos Santos e Moacyr dos Santos
03) Seleção de Piadas - Piraci e Nestor
04) Uma Estória Divertida - Piraci
05) O Mundo Daqui a Cem Anos - Capitão Furtado, Palmeira e Piraci
06) Piadas do Fanhoso - Piraci
07) Trocadilhos das Cobras - Piraci e Lourival dos Santos
08) Trocando de Profissão - Piraci e Jorge Paulo
09) Conselhos em Trocadilho - Piraci
10) Anedotas de Crianças - Piraci e Alberto Calçada
11) Trocadilhos Sobre o Casamento - Piraci
12) Moda dos Ofícios - Piraci e Capitão Furtado

 

PALMEIRA E PIRACI - CABOCLINHO APAIXONADO - REVIVENDO - 2000 - RVCD-181
01) O Burro Canário - Palmeira
02) Mulheres Célebres - Capitão Furtado e Bandeirante
03) Carro de Boi - Capitão Furtado e Orlando Puzone
04) Caboclinho Apaixonado - Serrinha, Palmeira e Piraci
05) Franguinho Carijó - Raul Torres e Nhô Pai
06) Segunda Moda dos Meses - Capitão Furtado
07) Adeus Morena - Palmeira e Piraci
08) O Nariz da Mulher - Capitão Furtado e Palmeira
09) Sereno do Varjão - Serrinha e João Merci
10) Nóis na Oropa - Palmeira e Piraci
11) O Mundo Daqui a Cem Anos - Capitão Furtado, Palmeira e Piraci
12) Louvação a São Gonçalo - Capitão Furtado, Palmeira e Piraci
13) Não Fico Mais na Cidade - Jaime Martins e Piraci
14) Sina do Beija-Flor - Capitão Furtado, Palmeira e Piraci
15) Paraguaya Pepita de Oro - Capitão Furtado e Palmeira
16) Promessa de Caboclo - Anacleto Rosas Júnior
17) Volta Comigo, Morena - Palmeira
18) Araraquara - Osvaldo Benjamin
19) A Carta do Expedicionário - Capitão Furtado e Piraci
20) Carta para o Expedicionário - Capitão Furtado e Palmeira
21) Salada Internacional - Capitão Furtado, Palmeira e Piraci

 

MÚSICAS

 

PIRACI

PALMEIRA E PIRACI

 

FOTOS

 

Visual LightBox Gallery generated by VisualLightBox.com
Piraci - 001 Piraci - 002 Piraci - 003 Piraci - 004 Piraci - 005 Piraci - 006 Piraci - 007 Piraci - 008 Piraci - Assinatura de contrato na RCA Belo Horizonte em 1961 Piraci em Varginha-MG - 1958 Piraci na Chantecler Piraci na RCA Piraci na União Piraci, Biá, Albertinho e Goiá Piraci, Capitão Furtado e Dupla Gaúcha - 1963 Piraci, Duo Irmãs Celeste e Mário Zan Piraci, Jorginho, Caçulinha e outros - 1962 Piraci, Nardeli e Alberto Dias na RCA - 1960 Piraci, Palmeira, Capitão Furtado, Blecaute e outros Piraci, Palmeira, Capitão Furtado, Xandica e Xandoca, e outros - 1942 Piraci, Poly e Leão Borges - Ordem dos Músicos - 1969 Piraci e Pisiqueta Espiguinha - 1945 Ado Benatti, Nenete, Palmeira, Francisco Lacerda, Piraci e Veranice Mário Zan e Piraci Palmeira e Piraci - Livrinho Modinhas Sertanejas Palmeira e Piraci no Rio de Janeiro - 1943 Palmeira e Piraci no Rio de Janeiro - 1944 Palmeira e Piraci Piraci e Cuiabá - Modinhas Sertanejas - Vol. 01 Piraci e Cuiabá Piraci e Goiá Piraci e Guarani - Modinhas Sertanejas - Vol. 03 Piraci e Guarani Piraci e Jorginho na Inauguração da Rádio Exclesior da Bahia - 1949 Piraci e Jorginho Piraci e Natalina em Aparecida do Norte - 1950 Piraci e Natalina Piraci - Reportagem Revista Sertaneja - 001 Piraci - Reportagem Revista Sertaneja - 002 Partitura A Índia e o Caçador Partitura Rio de Lágrimas Partitura Veranice visual lightbox for MACby VisualLightBox.com v6.1