Home Quem Somos? História da Música Fale Conosco

 

NHÁ BARBINA

 

Conceição Joana da Fonseca Gomes, a Nhá Barbina, nasceu na cidade de Jaboticabal, no interior do estado de São Paulo, em 02 de dezembro de 1915.
Iniciou carreira artística no circo, subindo ao picadeiro pelas mãos de seu marido, João Gomes, o seu maior incentivador. Estreou como atriz dramática na peça "O Divino Perfume". Permaneceu no gênero comovendo a platéia por dez anos. Por volta de 1938, já interessada na arte da caricatura, teve a oportunidade de substituir a titular de um circo. Criou a personagem Nhá Barbina, solteirona, que fazia tudo para arrumar um bom marido. Impressionou tanto que ninguém mais a chamou de Conceição. Passou a ser chamada pelo nome de seu personagem, inclusive por seus familiares. Trabalhou excursionando pelo Brasil em inúmeros circos e pequenos teatros.
Participou de 11 filmes. A estréia no cinema foi em 1963 no filme "Lá no Meu Sertão" ao lado de Tonico e Tinoco, e "O Cabeleira", de Milton Amaral em 1963.
Nesse período trabalhou na Rádio Tupi de São Paulo, no programa "Festa na Roça", de Lulu Benencase. Era a única humorista sertaneja no Brasil e foi consagrada com o título de Mãe Sertaneja. Em 1960 gravou na Odeon, o baião "O Galo Cantou" e a marcha "Arquimedes, Deixa Disso". Em 1963, filmou "O Rei Pelé", de Carlos Hugo Christensen. Em 1970, destacou-se como caricata no filme "Sertão em Festa", de Osvaldo Oliveira. Ainda no início da década de 1970, voltou à tela no filme "No Rancho Fundo", de Osvaldo de Oliveira, e também do filme "Luar do Sertão" ao lado da dupla Tonico e Tinoco.
No ano de 1971, lançou o LP "Nhá Barbina no Rancho Fundo", pela RGE. No mesmo ano, lançou pela CBS seu segundo disco, com piadas e canções. Gravou novo LP em 1975, contendo "Casa Caipira", com letra de Cornélio Pires e música de Tinoco, além de, entre outras, três números humorísticos "Família Repinica"; "Puxa e Repuxa", e "Penha-Lapa".
Trabalhou também em vários programas de rádio e televisão.
Participou da novela "Meus Filhos, Minha Vida" no SBT e da minissérie "Rabo de Saia" na TV Globo.
Recebeu vários troféus, diplomas e medalhas por sua atuação. Deixou dezenas de "causos", que contava com graça peculiar. Nos últimos anos, antes de seu falecimento atuava no programa "A Praça é nossa", no SBT.
Faleceu em São Paulo/SP em 11 de novembro de 1995, vítima de insuficiência respiratória aguda e broncopneumonia, aos 79 anos de idade.


Texto: Sandra Cristina Peripato

 

DISCOGRAFIA

 

78 ROTAÇÕES

 

 

05/1960 - ODEON - Nº 14.617
A - O Galo Cantou - Valter Amaral e Ado Benatti
B - Arquimedes, Deixa Disso - Valter Amaral e Ado Benatti

 

 

COMPACTOS

 

NHÁ BARBINA - CBS - Nº 33367
  01) Fruta do Mato -
02) Olha a Polícia -
Arlindo Pinto e Peteleco

 

NHÁ BARBINA - 1996 - DISCOS XORORÓ - CDC-25003
01) Mané do Fuscão Preto - Jeca Mineiro e Nhá Barbina e Adaptação: Tião do Carro
02) Copo Sem Fundo - Zé Coqueiro e Filoca
03) Fruta do Mato - Serafim Colombo Gomes e Geraldo Meirelles
04) Porquera - Luis Iglesias

 

 

LPs

 

NO RANCHO FUNDO - 1970 - RGE
01) Tô Maluca Por Você - Capitão Furtado e Zico
02) Puxando o Fole -
03) Caboclo Feliz -
04) Faniquito -
05) De Olho Nele -
06) Baile na Tuia -
07) Cochilou, Cachimbo Cai -
08) A Sanfona da Véia -
09) Fruta do Mato -
10) Olha a Polícia -
11) O Casamento do Bobo -
12) Puxa Puxa -

 

NHÁ BARBINA - 1971 - CBS
   

 

NHÁ BARBINA - 1975 - CONTINENTAL
   

 

NHÁ BARBINA - 1977 - BEVERLY - AMC-5474
01) Piadas -
02) Esta Vida é um Buraco -
Jair Gonçalves e Morandi
03) Piadas -
04) Coceira -
Roberto Paschoa
05) Piadas -
06) Piadas -
07) Eu Prego Fogo -
Roberto Paschoa e Vitório
08) Piadas -
09) Sabendo Usar Não Vai Faltar -
Mac
10) Piadas -

 

AS DUAS FACES DE NHÁ BARBINA
 

 

MÚSICAS

 

 

VÍDEOS

 

Nhá Barbina no Filme "Lá No Meu Sertão" - 1963

Nhá Barbina no Filme "O Cabeleira" - 1963

Nhá Barbina no Filme "Sertão em Festa" - 1970

Nhá Barbina no Filme "Luar do Sertão" - 1971

Nhá Barbina no Programa Viola Minha Viola

 

FOTOS

 

Visual LightBox Gallery generated by VisualLightBox.com