Home Quem Somos? História da Música Fale Conosco

 

ALEIXINHO

 

José Paulo Bueno nasceu em Piracaia, no estado de São Paulo, no ano de 1927. Com apenas treze anos de idade já cantava em dupla com seu irmão Alcides, tendo passado por diversas cidades do interior paulista, tais como a sua própria Piracaia, além de Nazaré Paulista, Joanópolis, Bragança Paulista e Atibaia.
Na década de 40, José Paulo fez seu primeiro trabalho no rádio com o programa "A Voz de Piracaia"; na mesma época, participou também de diversos espetáculos circenses e foi vencedor do Festival de Violeiros de Joanópolis/SP.
Foi em 1954 que Aleixinho compôs a música “Mãe Amorosa” em parceria com Tanabi, homenageando sua própria mãe que ficara em Piracaia, enquanto ele seguia sua carreira artística na cidade grande. Gravada pela primeira vez somente em 1966, foi com essa música que Aleixinho conquistou o reconhecimento dos admiradores da música caipira raiz em todo o Brasil. E essa composição foi gravada por Vadico e Vidoco, Pedro Bento e Zé da Estrada, Abel e Caim, Sérgio Reis, entre outros.
Ainda na década de 50, Aleixinho foi contratado pela Rádio Padre Bento em Guarulhos, cidade onde residiu até o fim de seus dias. Em 1955, Aleixinho foi vencedor no Festival de Violeiros da Rádio Clube de Santo André. E, em 1956, foi apresentador de um programa sertanejo na extinta Rádio São Paulo.
Em 1977 Aleixinho passou a cantar em dupla com seu filho Hélio Bueno. A nova dupla participou do programa “Canta Viola” na TV Record de São Paulo, e no "Viola Minha Viola" da TV Cultura. Desde então, foram centenas de shows em cidades do interior paulista e também em diversos estados brasileiros.
Aleixinho também teve diversos reconhecimentos na década de 90. Dentre eles, o Destaque Cultural na Área de Música, na Semana de Educação e Cultura, promovido pela Secretaria de Cultura de Guarulhos, em 1990, ano no qual foi também homenageado pelos seus 50 anos de carreira, pela Rádio Tupi, no programa Arte Brasil. Recebeu também o o título de Cidadão Guarulhense, em 1992. E, em 1998, foi homenageado pelo programa "Viola Viva", com o apoio da Secretaria de Cultura de Guarulhos.
Durante vários anos Aleixinho cantou em dupla com seu filho Hélio Bueno, tocou a viola caipira, dançou catira, declamou poemas, contou piadas e causos. E continuava compondo quando vinha inspiração, já que havia momentos menos férteis e outros em que compunha bastante.
Aleixinho se manteve em constante atividade até o final de seus dias. Estava prevista a sua participação na Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos, no ano de 2007. No entanto, tendo se sentido mal, precisou ser internado no dia 24 de agosto num hospital de Guarulhos, onde veio a falecer um mês depois, no dia 24 de setembro de 2007, vítima de diverticulite.
Suas composições continuam sendo gravadas por grandes intérpretes.

 

MÚSICAS DE AUTORIA DE ALEIXINHO

 

- A Cilada - Aleixinho, Cacique e Pajé
- A Força da Viola - Cacique e Aleixinho
- A Indigente - Cacique e Aleixinho
- Amigo do Copo - Aleixinho, Cacique e Pajé
- Amigo Invejoso - Aleixinho e Lorito
- Bonito Avião - Aleixinho, Cacique e Antonio L. Duarte
- Caipira Feliz - Zé Batuta e Aleixinho
- Caravana de Rodeio - Aleixinho e Tocantins
- Carinho de Mãe - Aleixinho e José Paulo Bueno
- Casa de Taipa - Aleixinho, Hermínio Gláucio e Brazando
- Casinha Modesta - João Carvalho e Aleixinho
- Chá de Canela - Cacique e Aleixinho
- Cidade Encantada - Aleixinho e Brazandinho
- Como Eu Gostava Primeiro - Aleixinho e Athos Campos
- Corre Corre da Vida - Aleixinho e Brazando
- Dose de Amor - Aleixinho e Cacique
- Feliz Aniversário - Sebastião Possenti e Aleixinho
- Festa na Tijuca - Aleixinho e Hélio Bueno
- Força da Viola - Cacique e Aleixinho
- Índios do Brasil - Cacique e Aleixinho
- João Corisco - Tião do Carro e Aleixinho
- Laço de Couro - Sebastião Possenti e Aleixinho
- Lobisomem - Aleixinho e Brazando
- Mãe Amorosa - Tanabi e Aleixinho
- Mendigo de Amor - Jean Moreira, Agenor de Souza e Aleixinho
- Meu Lugar é na Roça - Aleixinho e Cacique
- Meu Recanto - Aleixinho
- Minha Viola Quebrou - Pena Branca e Aleixinho
- Mulher de Ouro - Nelo de Almeida e Aleixinho
- Mulher Sertaneja - Aleixinho e Lorito
- Não Sei o que é que eu Tenho - Athos Campos e Aleixinho
- O Folgazão e o Diabo - Aleixinho e Athos Campos
- O Grande Companheiro - Aleixinho e Brazando
- O Trem da Noite - João Carvalho e Aleixinho
- O Velho Jequitibá - Cacique e Aleixinho
- Pai Protetor - Jesus do Chapéu, Aleixinho e Rodrigo Mattos
- Pra Quebrar o Jejum - Athos Campos e Aleixinho
- Saudação aos Mineiros - Tesouro, Tiãozinho e Aleixinho
- Saudade de um Filho - Tiãozinho e Aleixinho
- Saudoso Amigo - Aleixinho e Hélio Bueno
- Tapera Grande em Festa - Aleixinho e Brazandinho
- Tapete de Couro - Sebastião Possenti, Aleixinho e Thais de Almeida
- Tua Cruz - Aleixinho e Maria Chiquinha
- Última Mancada - Aleixinho, Oswanil Vieira Pinto e Cacique

 

FOTOS

 

Visual LightBox Gallery generated by VisualLightBox.com
Aleixinho - 001 Aleixinho - 002 Aleixinho e Helio Bueno - 01 Aleixinho e Helio Bueno - 02 Aleixinho, sua esposa Ireni e seu filho Hélio Bueno visual lightbox for MACby VisualLightBox.com v6.1